25 de novembro de 2010

22 de novembro de 2010

O poder da PACIÊNCIA

Como essa virtude antiquada pode melhorar sua vida
 
Querido Deus, rogo pedindo paciência. E eu a quero IMEDIATAMENTE! - Oren Arnold
 
  • Alguns McDonald's prometem entregar o pedido em até um minuto e meio, ou o lanche é grátis.
  • A duração média da consulta de um médico é de oito minutos.
  • Um remédio vendido sem receita médica é anunciado para mulheres que "não têm tempo para uma infecção vaginal".
  • Mesmo falando de assuntos complexos, atualmente os políticos levam apenas 8,2 segundos para responder a uma pergunta.
  • Um popular bufê em Tóquio cobra por minuto - quanto mais rápido você comer, menos pagará.• Um restaurante do outro lado da Rua Goiás contratou um leão-de-chácara a fim de olhar feio para os clientes quando estão demorando à mesa.
  • O presidente da divisão de computadores portáteis da Hitachi, que motiva seus trabalhadores com o lema: "A velocidade é Deus, o tempo é o diabo".
  • Os construtores de prédios altos descobriram um limite para o número de andares - o tempo que as pessoas estão dispostas a esperar pelos elevadores. Quinze segundos é o tempo de espera ideal; se ele se prolonga para quarenta, ficam impacientes.
Quando eu li um trecho da Palestra proferida pelo Desembargador do Tribunal de Justiça de Minas Gerais Mauro Soares de Freitas, em 03.10.2007, na Escola Judicial Desembargador Edésio Fernandes, onde o M.M. Desembargador criticou o modo como o Tribunal de Justiça de MG tem priorizado a rapidez nos julgamentos, criando metas a serem alcançadas, principalmente a de ser o Tribunal mais ágil do País, me deparei com aquela antiga INDAGAÇÃO: "a pressa é inimiga da perfeição". Parece clichê, mas é a pura verdade.
 
A paciência gera excelência. A paciência nos coloca em harmonia com os ciclos da natureza. A paciência nos ajuda a tomar decisões melhores. A paciência nos conecta com a esperança. A paciência nos ajuda a viver vidas mais longas e livres de estresse. A paciência nos ajuda a desperdiçar menos tempo, menos energia e menos dinheiro. A paciência nos ajuda a conseguir aquilo que queremos. A paciência nos protege contra a raiva. A paciência nos dá maior tolerância e empatia. A paciência nos ajuda a ter relacionamentos amorosos mais felizes. A paciência nos torna pais melhores. A paciência ensina o poder da receptividade. A paciência é a essência da civilidade. A paciência faz nossas almas crescerem.

2 de novembro de 2010

Minha mãe voando de helicóptero

Se me contassem, eu não acreditaria... mas, sim!!! Ela venceu o medo, e topou o desafio: sobrevoar o Parque Beto Carrero a bordo de um helicoptero. Ela se superou e a prova está aqui!!! É só olhar o finalzinho do vídeo a comemoração dela... parece que fez um gol de final de copa do mundo, hehehehehe
Te amo, minha madrezita!

Presidenta? Que palavra é esta???

Com a eleição da primeira mulher para comandar o nosso País, há a necessidade, urgente, de uma pequena leitura de nosso vernáculo, até mesmo para que possamos evitar erros crassos no trato simples de uma forma de tratamento. Portanto, embora mulher, Dilma será a Presidente (e não presidenta, como muitos assim colocam, inclusive nossa imprensa escrita, falada e televisiva).  Para que eu não pague aqui de professor, segue uma aulinha bem humorada de português que vem bem a calhar nesses dias:
 
Tenho notado, assim como aqueles mais atentos também devem tê-lo feito, que a candidata Dilma Roussef e seus apoiadores, pretendem que ela venha a ser a primeira presidenta do Brasil, tal como atesta toda a propaganda política veiculada pelo PT na mídia. Presidenta? Mas, afinal, que palavra é essa? Bem, vejamos:

No português existem os PARTICÍPIOS ATIVOS como derivativos verbais.  Por exemplo: o particípio ativo do verbo atacar é atacante, de pedir é pedinte, de cantar é cantante,  de existir é existente, de mendicar é mendicante...  qual é o particípio ativo do verbo ser? O particípio ativo do verbo ser é ente. Aquele que é: o ente.  Aquele que tem entidade. 

Assim, quando queremos designar alguém com capacidade para exercer a ação que expressa um verbo, há que se adicionar à raiz verbal os sufixos ante, ente ou inte.

Portanto, à pessoa que preside é presidente, e não "presidenta", independentemente do gênero,  masculino ou feminino. Dizemos capela ardente, e não capela "ardenta";  dizemos estudante, e não "estudanta"; dizemos adolescente, e não "adolescenta"; dizemos paciente, e não "pacienta".

UM EXEMPLO (NEGATIVO) SERIA: 

A candidata a presidenta se comporta como uma adolescenta pouco pacienta que imagina ter virado eleganta por ser nomeada representanta. Esperamos vê-la algum dia sorridenta numa capela ardenta, pois esta dirigenta política, dentre tantas outras atitudes 

barbarizentas, não tem o direito de violentar o pobre português, só para ficar contenta.

Autor desconhecido, texto vastamente publicado na internet;

Mais recentes